Translate:
- Notícias por email:
  >> BLOG CLOSED <<  
   

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Naval e Estoril empatam (2-2) e ficam mais longe das "meias"

Naval 1º de Maio e Estoril-Praia empataram hoje 2-2, na Figueira da Foz, jogo da segunda jornada da terceira fase da Taça da Liga de futebol, que compromete as aspirações das duas formações seguirem em frente.

Uma vitória de qualquer dos intervenientes do encontro que fechará esta segunda ronda do grupo D, a disputar na quinta-feira entre Sporting e Penafiel, ditará desde logo o impedimento de Naval e Estoril em atingirem as meias-finais.

Os figueirenses ainda chegaram a usufruir de uma vantagem de dois tentos, atingida nos primeiros 15 minutos, mas o Estoril reagiu e atingiu o intervalo empatado.

O treinador da Naval, Carlos Mozer, provavelmente já a pensar na partida do próximo sábado com o Portimonense, deixou de fora do "onze" que iniciou a partida com o Estoril todos os jogadores que dias antes haviam defrontado no Estádio do Dragão o FC Porto.

Também Vinicius Eutrópio, treinador do Estoril, alterou substancialmente o "onze" que no passado domingo defrontara e perdera em Barcelos com o Gil Vicente, chamando à titularidade Vagner, Bruno Nascimento, Jefferson, Tony Taylor e Clodoaldo

A equipa da casa entrou melhor e chegou rapidamente aos 2-0, com tentos de Previtali, aos nove minutos, e de Hugo Machado, aos 14, mas os visitantes reagiram e Clodoaldo, aos 21, na conversão de uma grande penalidade, e Vinicius Reche, aos 39, levaram a partida empatada para intervalo.

Depois de uma primeira parte bastante movimentada, a segunda parte desiludiu, tendo o futebol praticado sido de má qualidade, pelo que se ajusta o resultado final.

Carlos Mozer (Naval):
«Lições? Sim, tirámos muitas e boas. Tudo aquilo que a Naval fez dá indicação de que os jogadores estão a compreender o que se pede e a cumprir à risca o plano de jogo. Não era o resultado que esperava. O primeiro golo deles foi precedido de fora-de-jogo. Ai, muda um bocadinho o jogo, mas a Naval foi muito mais equipa, pressionou muito mais, tomou conta do jogo, e teve inúmeras ocasiões para marcar. Faltou apenas uma eficácia maior na finalização. Só na segunda parte é que o Estoril nos criou algumas dificuldades, nos primeiros cinco minutos, mas conseguimos voltar a equilibrar e regressámos ao jogo que havíamos feito na primeira parte. Agora, fica difícil para passarmos à próxima fase, mas fizemos tudo ganhar este encontro. Estamos num plano de evolução, estamos a melhorar, hoje houve uma mudança grande na equipa mas os jogadores tiveram um comportamento brilhante. Portimonense? É outro jogo, para buscar os três pontos, e vamos ser determinados como fomos hoje.»

Vinícius Eutrópio (Estoril):
«É um resultado justo pela nossa proposta. Entrámos com muitas mudanças no onze e isso leva a equipa a demorar a ajustar-se. Foi nessa fase que sofremos os dois golos, mas, com calma, procurámos o empate e conseguimos. No segundo tempo, apostámos no contra-ataque, bem posicionados atrás. Conseguimos até uns dois ou três perigosos. Foi um resultado importante porque do pouco que Mozer está aqui, já sentimos a evolução da equipa e, por isso, saiu satisfeito. Principalmente pela atitude dos jogadores.»

Ficha de Jogo:
Estádio: José Bento Pessoa, na Figueira da Foz.
Árbitro: Hélder Malheiro (Lisboa), auxiliado por Ricardo Santos e Hernâni Fernandes.
Quarto árbitro: Nuno Pereira.

NAVAL: Bruno Jorge; Carlitos, Lupède, Rogério Conceição e Camora; Godinho; Giuliano (Edivaldo, 68 minutos) e Hugo Machado (Godemèche, 77); João Pedro, Previtali e Simplício (Marinho, 69).
Suplentes não utilizados: Salin, Gomis, João Real e Daniel Cruz.
Treinador: Carlos Mozer.

ESTORIL: Vagner; Bruno Nascimento, Tiago Bernardi (Luciano Bebé, 62), Lameirão e Murilo Ceará; Steven Vitória; Erick (João Coimbra, 46), Nelsinho e Vinicius Reche; Tony Taylor e Clodoaldo.
Suplentes não utilizados: Mário Matos, Jefferson, Filipe da Costa e Alex Afonso.
Treinador: Vinícius Eutrópio

Ao intervalo: 2-2.
Marcadores: Previtali (10), Hugo Machado (15), Clodoaldo (22, g.p.)e Vinícius Reche (38).
Disciplina: cartão amarelo para Bruno Jorge (21).